A Cozinha Moderna

“Não temos cardápios fixos, alteramos todos os dias, a partir do que encontramos de melhor. Não sou eu que decido qual peixe será servido e sim o mar e o pescador”.

Esta frase da Chef Roberta Sudbrack representa plenamente a filosofia que está por trás da proposta da Casa que ela abriu há cinco anos no Rio de Janeiro. Casa é o termo certo, não somente por ser o jeito de muitos chefes e donos de restaurantes definirem o próprio local, mas no caso do “Roberta Sudbrack”, pelo conceito e pela atmosfera que nele vivemos: “A ideia é realçar a atmosfera de residência particular, buscar o íntimo, uma espécie de restaurante pessoal, dada a exclusividade dos seus poucos lugares e da organização que estimula a percepção de que tudo ali foi escolhido sob medida, para que o cliente possa usufruir uma experiência única.” Como é explicado no site, o RS é um ambiente onde se pode “comer, beber e conversar por puro prazer, com o propósito de restaurar o prazer social como um bem a ser valorizado, aproveitando a vocação da Cidade.” E que cidade: estamos falando da Cidade Maravilhosa, destino turístico de pessoas provenientes do mundo inteiro: Rio de Janeiro.

Mas quem é Roberta Sudbrack?

Gaúcha, nascida em Porto Alegre, de formação autodidata, foi a primeira chef a comandar a cozinha do Presidente da República do Brasil, onde serviu a centenas de Chefes de Estado, entre presidentes, príncipes, reis e rainhas. Dotada de uma imaginação infinita e uma técnica minuciosa e precisa, Roberta Sudbrack representa um estilo próprio de cozinha onde se encontram tradição e modernidade, gerando uma experiência única que resgata valores tanto numa dimensão sensorial, quanto estético e cultural. Sua cozinha é artesanal e realizada com extremo cuidado e técnica, e sempre levando em conta os produtos mais frescos da estação, o sabor do alimento e a valorização dos ingredientes brasileiros, sem regionalismos ou excessos.

Mesmo tendo ganhado vários prêmios como melhor cozinha contemporânea, ela prefere a

expressão “cozinha moderna brasileira” como definição da sua cozinha porque isso indica algo em movimento, e não exatamente de um instante de presente ou futuro. Nas palavras de Roberta: “Procuro a preservação da nossa herança gastronômica – sem regionalismos - por intermédio das influências das técnicas clássicas que não deixam de atualizar o passado, mas que antes de tudo querem sugerir uma vanguarda gastronômica, cheia de conteúdo e sensibilidade que possa ser compreendida sensorial, estética e culturalmente.”.

Roberta Sudbrack tem se revelado como a Chef mais inventiva e consistente de sua geração. Sua comida contrasta com a obviedade e os exageros das misturas, que retiram do alimento seus gostos naturais. É leve, repleta de texturas, aromas e beleza que despertam todos os sentidos.

Reconhecendo que cozinhar é uma Arte, a Arte de Roberta foi reconhecida nacionalmente e internacionalmente, e se traduziu em uma coleção de prêmios:

Melhor chef 2010/2011 Rio Show - Jornal O Globo

Melhor Restaurante 2010/2011 Rio Show - Jornal O Globo

Melhor Cozinha contemporânea 2010/2011 Rio Show - Jornal O Globo

Inclusão na lista dos melhores restaurantes do mundo, Revista Food & Wine.

Chef do ano, Revista Veja, 2010/2011

Melhor restaurante contemporâneo, Revista Veja, 2010/2011

Chef do ano 2010, Revista Prazeres da Mesa

100 most important Chefs of the World, 2010 http://eaturl.info/ujvv

Melhor Chef do Brasil, 2009/2010, Guia 4 Rodas

Melhor Restaurante de Alta Gastronomia, 2009/2010 - Revista Veja

Top Chefs of the World, 2009, França

Melhor Chef, 2009/2010, Revista Época

Chef do ano 2006 e 2007 - Revista Gula

Chef do ano 2006 - Revista Veja

Chef do ano 2004, 2006 e 2007 - Guia Danusia Barbara de Restaurantes

Restaurante 5 estrelas, desde 2005 – Guia Danusia Barbara de Restaurantes

Chef do ano Brasil - Prêmio Brasil de Gastronomia, 2007

Melhor Chef 2006 e 2007- Jornal o Globo

Melhor Chef 2005 e 2007 - Prêmio Água na Boca, Jornal O Globo

Melhor restaurante contemporâneo 2006, 2007 e 2008 - Revista Veja

Melhor restaurante contemporâneo 2005, 2006, 2007 e 2008- Revista Gula

Campeão dos Campeões, Melhor restaurante contemporâneo 2007, Revista Gula

Inclusão na lista dos melhores restaurantes do mundo, Revista Food & Wine Top Chefs of the World, 2009, França 100 Chefs mais importantes do mundo, 2010 http://eaturl.info/ujvv Restaurante 3 estrelas (cotação máxima) 2011/2012, Guia 4 rodas Brasil

Com este currículo, ninguém melhor para iniciar nossa viagem pelos sabores do Brasil.

DJ - Roberta, a culinária de cada país tem tradição, regionalidade, influência estrangeira, e elementos contemporâneos. Como podemos fazer um retrato hoje, da culinária do Brasil?

RS - A gastronomia brasileira é muito rica. A questão da regionalidade influencia demais nessa riqueza. Temos, ao contrário das outras culturas, cozinhas absolutamente diferentes de região em região. Cada uma delas muito específica e repleta de influências dos nossos colonizadores. É uma cozinha muito própria e muito diversa, muito além do arroz com feijão. Nem nós brasileiros temos o conhecimento real, há muito há ser explorado, pesquisado e descoberto.

DJ - Existe na realidade um Brasil na cozinha, ou são muitos e distintos?

RS- É um Brasil só, mas repleto de influências, cores, aromas e possibilidades. Em todas as regiões você vai encontrar o vínculo com o afeto, com o cheiro do fogão à lenha, a panela de barro, de ferro. Esse afeto e essa linguagem são a essência da cozinha brasileira.

DJ - Quais são pra você hoje os elementos que mais caracterizam a culinária no Brasil?

RS - Justamente o afeto, o fogo baixo, a lenha, a panela de barro, de ferro...

DJ - Como na população, que é uma miscelânea de muitas raças e origens, assim encontramos no Brasil restaurantes do mundo inteiro: mexicanos, italianos, franceses, japoneses, tailandeses, alemães, etc. Se a gente imaginasse um restaurante Brasileiro no exterior, quais poderiam ser seus pratos típicos?

RS - Hoje temos um grande movimento, do qual eu faço parte, da moderna cozinha brasileira. E’ uma cozinha que se expressa com brasilidade, mas conectada com o mundo, com as tendências, com as influências, sem negar suas origens mas também sem se ater a regionalidade; é uma cozinha livre, que se expressa com leveza e personalidade.

A cozinha brasileira pode se expressar de diversas formas sem deixar de ser brasileira. Essa idéia de pratos típicos restringe demais as inúmeras possibilidades que essa cozinha tem de expressão. Hoje falamos com o mundo de uma maneira muito brasileira e ao mesmo tempo universal; a cozinha brasileira tem essa capacidade.

DJ - Se você tivesse que ser guia em uma viagem a descoberta do sabor brasileiro para um grupo de gourmands estrangeiros, onde você os levaria e quais pratos aconselharia?

RS - Não aconselharia pratos, aconselharia descobertas, viver as culturas, os costumes. É impossível descobrir o Brasil sem visitar Minas Gerais, a Bahia, o interior de São Paulo e o Rio Grande do Sul por exemplo. Se embrenhar por esses estados e se deixar levar pelas preparações do dia a dia do nosso povo é sem dúvida o melhor caminho.

Roberta Sudbrack

Rua Lineu de Paula Machado 916, Jardim Botânico. Tel.: 3874-0139. Horário de

funcionamento: terça a quinta-feira, das 19h30 à meia-noite. Sexta-feira, das 12h às

15h e das 20h30 ao último cliente. Sábado, das 20h30 ao último cliente. Cartões de

crédito: exclusivamente Mastercard. Tickets: nenhum. Manobrista.

Site: www.robertasudbrack.com.br

Blog: www.robertasudbrack.com.br/blog

Deborah Jappelli, Petrópolis - Rio de Janeiro Matéria publicada em italiano em 27/12/2010 no portal Venezia Eventi

Posts Em Destaque