Mandioca, a raiz do Brasil

Muitos brasileiros não sabem o quanto a mandioca é especial, e nem imaginam que em muitas partes do mundo as pessoas não conhecem esta raiz e as mil possibilidades de utilizá-la na culinaria. Aqui vai...

Iniciarei com esta, uma série de matérias sobre alimentos e ingredientes típicos da culinária Brasileira. Uma atenção especial para ela: a raiz do Brasil, a Mandioca. Não se pode falar de alimentos tradicionais Brasileiros sem falar da mandioca. Desde minha infância, quando passava as férias neste maravilhoso país, eu me apaixonei por ela! Se consideramos a batata versátil, a mandioca é algo que surpreende.

Subprodutos da mandioca são irreconhecíveis, de tanto diferentes; alguns eu só descobri que era mandioca depois de muito tempo que estava aqui.

Mas o que é a Mandioca?

A mandioca é uma raiz; pelo lado de fora ela parece uma madeira, tem uma casca áspera e fibrosa de cor marrom; por dentro tem uma polpa branca ou amarelinha. Mandioca é o nome pelo qual é conhecida a espécie comestível e mais largamente difundida do gênero Manihot, composto por diversas variedades de raízes comestíveis.

Existem principalmente dois tipos: a Mandioca utilíssima ( aipim ou macaxeira) que pode ser comida em pedaços , frita, como alimento sem passar por um processo de retirada de uma substancia toxica, chamada de cianeto, e a Mandioca esculenta, usada apos a retirada deste acido, para fazer vários tipos de farinhas.

O nome dado ao arbusto da manihot é Maniva. Trata-se de um arbusto que teria tido sua origem mais remota no oeste do Brasil (sudoeste da Amazônia) e que, antes da chegada dos europeus à América, já estaria disseminado, como cultivo alimentar, até à Mesoamérica (Guatemala, México). Espalhada para diversas partes do mundo, tem hoje a Nigéria como seu maior produtor.

No Brasil possui muitos sinônimos, usados em diferentes regiões, tais como aipi, aipim, castelinha, macaxeira, mandioca-doce, mandioca-mansa, maniva, maniveira, pão-de-pobre, e variedades como aiapuã e caiabana, ou nomes que designam apenas a raiz, como caarina. Foi cultivada por várias nações indígenas da América Latina que consumiam suas raízes, tendo sido exportada para outros pontos do planeta, principalmente para a África, onde constitui, em muitos casos, a base da dieta alimentar. A mandioca é a base da alimentação de muitas tribos de índios do Brasil.

No Brasil, a raiz tuberosa da mandioca é consumida na forma de farinhas, como a farinha de mandioca e "tapioca" ou em pedaços cozidos ou fritos. Está presente também no preparo de receitas típicas da Amazônia como o "tacacá", o molho "tucupi", e com suas folhas cozidas prepara-se a "maniçoba".

Dela também são feitas bebidas como o "cauim"(indígena) feito através de fermentação e a "tiquira", um tipo de cachaça ou aguardente produzida por meio de um processo de destilação. Possui elevado teor alcoólico e é comum no estado do Maranhão, mas pouco conhecida no restante do Brasil. Só poucos anos atrás, quando mudei para o Brasil definitivamente, descobri que o famoso pão de queijo, que eu comia desde criança, também é feito com uma das farinhas derivadas da mandioca: o "polvilho" (fécula de mandioca), doce ou azedo, que serve para a preparação de diversas comidas típicas e do próprio pão de queijo. Outras preparações a base de mandioca são: a tapioca, o bobó, bolinhos, farofa, paçocas, pão-de-queijo, pirão, queijadinha, vaca atolada, alguns bolos e outras. Iremos falar de cada uma delas nesta nossa viagem juntos pela culinária do Brasil! 7 de fevereiro de 2011

Posts Em Destaque